Vale conclui descaracterização da primeira das nove barragens a montante

Localizada na Mina de Águas Claras, em Nova Lima, a 8B teve suas obras iniciadas em 17 de maio. O objetivo da mineradora é que nos próximos três anos todas estejam descaracterizadas ou com o fator de segurança adequado, sem oferecer risco às comunidades e municípios localizados abaixo das estruturas e ao meio ambiente.

De acordo com a Vale, as obras para eliminar as características de barragem realizadas na 8B consistiram na remoção do alteamento que estava apoiado sobre sedimentos e na construção de um canal central com pedras para possibilitar o escoamento natural da água superficial. “Antes de iniciada a obra, que gerou um total de 160 empregos diretos, toda a água superficial do reservatório foi retirada por meio de bombeamento. Para formar o enrocamento no canal central e no local onde ficava o barramento foi necessária a colocação de cerca de 50 mil toneladas de pedras”, informou a empresa.

Vegetação na área da mina

Ainda segundo a Vale, a área onde ficava a barragem B8 está sendo revegetada. A mineradora informou que foi aplicada uma manta vegetal em uma área de 12.700 m² e plantadas mil mudas de espécies nativas da Mata do Jambreiro, reserva de proteção permanente preservada pela Vale onde estava localizada a 8B.

 

Com a conclusão das obras, a empresa começou com os processos de formalização da descaracterização junto aos órgãos estaduais e Agência Nacional de Mineração.

Números da Barragem 8B

  • Início da operação: 1974
  • Fim da operação: 2002
  • Capacidade total: 300 mil metros cúbicos
  • Número de empregos gerados: 160
  • Área revegetada: 12.700 metros quadrados
  • Mudas plantadas: 1.100
  • Altura do enrocamento:  1,5 metro
  • Volume de rochas usadas no enrocamento: 50 mil toneladas

Obras de contenção

Além da 8B, o projeto de descaracterização inclui as barragens Sul Superior (Barão de Cocais); Vargem Grande (Nova Lima); Fernandinho (Nova Lima); B3/B4 (Nova Lima); Grupo (Ouro Preto) e Forquilhas I, II e III (Ouro Preto). A mineradora garante que em algumas estruturas estão sendo construídas barreiras de contenção a jusante para reforçar a segurança em caso de rompimento. As obras de descaracterização e de contenção estão orçadas em R$ 8,6 bilhões.

Até dezembro deste ano, devem estar concluídas duas barreiras localizadas a jusante das barragens Sul Superior, em Barão de Cocais, e B3/B4, em Macacos (Nova Lima). Já a obra de contenção do conjunto de barragens que reúne Forquilhas I, II e III, e Grupo, da Mina Fábrica, em Ouro Preto, deve estar concluída no final de fevereiro de 2020. 


Autor / Fonte: